google-site-verification=lVye_3GhixnbQr98N774_HFHsF7BTULAqljtSXVFj8E
top of page
  • Foto do escritorJúlia Guimarães Florim

FGTS O FIM DE UMA LENDA: Nova correção é válida apenas para novos depósitos a partir de 2025


 

O ano de 2024 tem sido marcado por julgamentos polêmicos no STF. Em abril, a corte apreciou uma ADI que impacta diretamente a tese da revisão da vida toda, que buscava admitir a utilização de salários de contribuição anteriores a julho de 1994 para a formação do Período Básico de Cálculo e, consequentemente, o aumento dos valores das aposentadorias de parte dos aposentados brasileiros.


No dia 12 de junho, mais uma vez a corte surpreendeu o meio jurídico ao julgar a tese objeto da ADI 5090, que pleiteava a correção das contas do FGTS por índices econômicos mais vantajosos, como IPCA-E e INPC, em detrimento da TR, que há anos se encontra zerada.


A ação, embora julgada procedente para corrigir as contas por um índice mais favorável que a TR, teve um revés importante, desapontando milhões de trabalhadores que esperavam a revisão de suas contas de FGTS.


Para evitar uma enxurrada de ações e proteger as contas públicas da falência, o STF modulou os efeitos da decisão, estabelecendo que a nova correção é válida apenas para novos depósitos a partir de 2025.

Apesar de comemorada por entidades representativas dos trabalhadores, a decisão representa uma verdadeira derrota para aqueles que ingressaram judicialmente buscando a revisão do índice de correção para depósitos anteriores a 2024.


Segundo dados do painel de estatística do Conselho da Justiça Federal são 798.896 ações que tratam da aplicação do INPC/IPCA nas contas vinculadas do FGTS.[1]


O acórdão ainda não foi publicado, e é possível a oposição de embargos.

No entanto, dificilmente tal recurso será capaz de modificar o entendimento da corte sobre a modulação dos efeitos.


Os escritórios de advocacia do Brasil que trabalharam e ingressaram com ações como estas não receberão qualquer valor com relação aos honorários advocatícios, uma vez que, em ações dessa natureza, o recebimento ocorreria apenas com o êxito.

 

Júlia Guimarães Florim

Especialista em direito previdenciário





 
90 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page